Bruges

Partimos de carro do Efteling, na Holanda, para 3 noites em Bruges, na Bélgica. A viagem é rápida e bem tranquila. São cerca de 190 Km, mais ou menos 2h20 em uma excelente estrada.

Primeira informação sobre Bruges: o nome. Eu sempre achei que fosse Brugge, aí o Gustavo dizia que era Bruges, e resolvi me informar. A Bélgica é um país com 3 línguas oficiais (eu achava que eram 2): nederlandês, francês e alemão. Assim, o nome da cidade é Brugge em nederlandês, Bruges em francês, e Brügge em alemão. Fiquei com Bruges, porque prefiro francês.

Bruges é uma pequena cidade histórica com 120.000 habitantes, conhecida como “Veneza do Norte” por causa de seus canais.

 

As primeiras fortificações foram construídas após a conquista do Menappi por Júlio César no século I a.C., com intuito de proteção da zona costeira contra piratas. Já no século IV, a região foi tomada aos romanos pelos Francos e as incursões dos Vikings por volta do século IX, obrigaram a que Balduíno I da Flanders reforçasse as antigas fortificações. Foi também nesta época que se fortaleceram as relações comerciais com a Inglaterra e a Escandinávia, e surgiram as primeiras moedas gravadas com o nome Bryggia (significa “porto” em neerlandês remoto).

Em 1128, Bruges foi elevada a cidade e construiu novas muralhas e canais. Com o raiar do século XII, Bruges foi incluída no circuito comercial flamengo, sobretudo devido à sua emergente indústria de lã e tecidos. Em 1277, o primeiro barco mercante partiu de Gênova e atracou no porto de Bruges, o primeiro da rota mercantil que tornou Bruges a principal conexão com o comércio do mar mediterrâneo.

No século XV, Filipe O Bom, duque da Borgonha assentou corte em Bruges (bem como em Bruxelas e em Lille) atraindo muitos artistas, banqueiros e outras personalidades proeminentes de toda a Europa.

Na segunda metade do século XIX, Bruges tornou-se um dos primeiros destinos turísticos, atraindo turistas britânicos e franceses.

Seu centro histórico é Patrimônio Mundial da Unesco desde 2000, e foi designada Capital Européia da Cultura em 2002.

Bruges é uma cidade medieval incrivelmente preservada. Charmosa e majestosa. Parece uma cidade de conto de fadas. Sem dúvida uma das cidades mais lindas da Europa. Em Bruges, você é transportado para séculos atrás.

 

Nós somos completamente apaixonados pela cidade. Eu já havía visitado Bruges 4 vezes, essa foi a 5a vez, tendo sido a última já com a Clarinha, com 1 ano e 3 meses. Ficamos no Hotel Patritius, um casarão antigo, com quartos agradáveis, camas confortáveis e um café-da-manhã delicioso. Não é exatamente child-friendly, mas não chega a ser child-unfriendly. É belga, né? Na minha experiência, não achei os belgas propriamente apaixonados por crianças. Na verdade, eu tenho a impressão de que eles meio que fingem que elas não existem. Triste.

A praça central, Markt, é o coração da cidade. Ela é rodeada de casas de diversos períodos da história, com a fachada preservada, onde hoje funcionam comércios, principalmente restaurantes. Nela fica o Palácio Provincial (Proviciaal Hof), onde funciona uma atração chamada Historium Brugge que me pareceu bem interessante (não fomos porque só descobri no final do último dia). Pelo que entendi, não é exatamente um museu, mas uma experiência histórica”, como eles chamam, onde são simuladas situações dos tempos medievais de Bruges, com músicas e efeitos especiais. Dentro deste prédio também há um centro de atendimento ao turista. Nessa praça fica também o Campanário (Belfort), que possui uma torre enorme. É possível subir seus 366 degraus e ter uma vista espetacular da cidade. No centro da praça há uma estátua e diversas charretes, compondo um cenário que realmente dá a sensação de conto de fadas.

Outra coisa bem famosa no Markt é o trailer de batatas-fritas que fica em frente ao Campanário. No site oficial de Bruges, eles anunciam como a melhor batata-frita do mundo!

 

Da Markt sai a Breidelstraat, que liga o Markt a outra praça, Burg. Essa praça é ocupada desde o século 2 A.D.!! Nela fica a prefeitura (Stadhuis) e a Basílica do Sangue Sagrado (Heilig Bloedbasiliek), onde é guardada a relíquia do sangue sagrado.

 

Para o lado oposto ao da Breidelstraat, sai da Markt a Steenstraat a rua mais movimentada da cidade, repleta de lojas famosas e chocolaterias. A rua paralela a ela também é cheia de lojas e, ligando uma rua à outra, há vários becos e ruelas interessantes. Mais adiante, há ainda outra praça, a Simon Stevinplein.

IMG_4742 (2)
Simon Stevinplein

 

Há 300 metros da Simon Stevinplein, há a Onze-Lieve-Vrouweker ou Our Lady Church (Não consigo traduzir como Igreja de Nossa Senhora, me soa esquisito, apesar de ser a tradução correta), uma grande igreja que começou a ser construída em 1225 e é a ilustração perfeita do trabalho dos artesãos de Bruges. Sua torre de 115,5 m de altura, o torna o segundo edifício de tijolos mais alto do mundo. A igreja exibe uma valiosa coleção de arte, com a mundialmente famosa “Madonna e Criança” de Michelangelo, além de inúmeras pinturas, sepulturas seculares do século XIII e os túmulos de Maria da Borgonha e Carlos o Temerário.

 

Museus também não faltam na cidade. Como já mencionei, o museu da Onze-Lieve-Vrouweker possui uma coleção riquíssima e mundialmente famosa. No próprio prédio do Campanário, embaixo, tem um museu onde estava tendo uma exposição (não sei se fixa ou permanente) do Salvador Dali. O Groeningemuseu é um museu de artes plásticas que apresenta obras de uma grande variedade de artistas belgas de diversos estilos.

Há ainda o Hospital de St. John ou Oud Sint-Janshospitaal, que é um hospital do século 11, próximo à Onze-Lieve-Vrouweker. É um dos edifícios hospitalares mais antigos da Europa.  O hospital cresceu durante a Idade Média e era o lugar onde peregrinos e viajantes doentes eram atendidos. O local foi posteriormente expandido com a construção de um mosteiro e um convento. Apenas em 1977 sua função foi transferida para um hospital mais moderno em Brugge Sint-Pieters. Atualmente, parte do complexo hospitalar detém o popular Museu Hans Memling, onde são exibidas várias obras, como trípticos, registros hospitalares, instrumentos médicos e outras obras de arte.

Por ter um turismo intenso, Bruges conta com bastante comércio, desde de H&M até lojas finas. A Kipling é belga e tem uma loja lá! Nós fizemos muitas compras na Inno, uma gigantesca loja de departamento multimarcas, com várias marcas boas com preço em conta. E ainda tem Tax Free!

Outra loja que é atração na cidade é a Kathe Wohlfahrt, loja de Natal, com uma infinidade de enfeites.

DSC01202
Kathe Wohlfahrt

 

Há muita variedade na parte de gastronomia também, com uma grande diversidade de cafés e restaurantes. E, é claro, chocolates belgas. A Bélgica tem tradição em chocolates finos e deliciosos e Bruges é considerada a capital Europa do chocolate. Em cada esquina há uma chocolateria maravilhosa. O chocolate da The Chocolate Line é considerado o número 1 do mundo!

Como quase toda pequena cidade em qualquer lugar do mundo, Bruges não é riquíssima em atrativos para crianças. Quando se vai em uma viagem de adultos, os passeios são bem diferentes e as dicas mudam bastante. Vale à pena, por exemplo, visitar as cervejarias locais. Com crianças, é complicado, pois são todas pequenas, escuras, úmidas e cheias de escadas.

Com duas pequenas, resolvemos focar em passeios mais abertos, apesar do frio (não se engane, a Bélgica segue a linha da Holanda em matéria de frio! Jamais a subestime!).

Vale à pena fazer o passeio de charrete, apesar do preço exorbitante (50 euros!). O trajeto passa por pontos legais da cidade e faz uma parada no Begijnhof, um convento que é considerado patrimônio mundial. Ele é habitado por freiras do mosteiro de São Bento. São casinhas que cercam um jardim central lindo. Do lado de fora, há o belíssimo Lago do Amor, cheio de cisnes enormes.

 

 

Outro passeio interessante que fizemos da primeira vez que fomos com a Clarinha é o passeio de barco pelos canais. É possível conhecer partes lindas da cidade que só são acessíveis de barco, e ouvir um pouco sobre a história local. O site oficial da cidade tem todas as informações sobre os locais, preço (8 euros) e horários (10:00-18:00).

 

Procurando atividades voltadas para crianças, descobri que há uma fazendinha medieval no entorno de Bruges, a Kinderboerderij De Zeven Torentjes (na internet, a gente encontra como Cafeteria Kiboe, que é o restaurante local). Esta é uma fazenda do século XIV para crianças, com uma ótima área de recreação e animais de fazenda. Resolvemos visitar e aproveitar para experimentar um passeio de bicicleta, algo que eu sempre quis fazer, e que sei que as meninas adoram. No centro de informações turísticas, eles fornecem um mapa de todas as lojas de aluguel de bicicletas da cidade. O hotel também havia fornecido um mapa de lojas de aluguel de bicicletas, com desconto. Rodamos várias, mas só em uma encontramos o que queríamos: Aquele caixote fechado, que cabe duas crianças. Nas demais só havia cadeirinhas ou bicicletas triplas. Como estava muito frio e eventualmente chuviscava, queríamos o tal caixote. Alugamos em uma loja na Niklaastraat.

 

 

Assim, pedalando, rumamos para a fazendinha! O lugar é muito legal, tem um parquinho de brinquedos de areia, simples, mas com bastante brinquedos. Tem um restaurante bem child-friendly, com cadeirão, banheiro, brinquedos simples. O menu não é grande e é simples, mas é bem gostoso. E, uma grata surpresa! Tem um aviso na porta, incentivando a amamentação. Não que nos outros lugares seja proibido ou que eu deixe de amamentar (apesar de que tento ser discreta). Mas um aviso desses sempre nos deixa, mães, lactantes, mais à vontade. E, obviamente, tem bichos de fazenda. Vimos carneiros, galinhas, coelhos e porcos (gigantescos!).

 

 

Outra atividade que tem para crianças nos arredores de Bruges é o Boudewijn Seapark, uma espécie de parque aquático, com shows de golfinhos e tal. Não fomos porque estava frio e porque não curto shows com animais.

Para comer, não faltam boas opções. Na Burg há um Le Pain Quotidien (que é sempre uma ótima opção). É grande, com vários ambientes confortáveis e aconchegantes, e possui opções de pratos, lanchinhos e doces.

Para refeições, as opções também são muitas. Na Kemelstraat, que sai da Breidelstraat, há dois resurantes um em frente ao outro, chamados The Hobbit e The Habit. Reza a lenda que o The Hobbit pertencia a um casal que se separou, e a dona saiu e abriu o The Habit. Quem nos contou foi uma amiga nativa de Bruges, não sei se é verdade, mas já fui nos dois e a comida é bem gostosa. No The Hobbit não fomos muito bem recebidos desta última vez. Estávamos com as meninas, carrinho, etc, e o dono foi bem grosseiro. No The Habit fomos super bem recebidos, nos deram papel e giz de cera para as meninas, arrumaram espaço para o carrinho-trambolho (o restaurante é pequeno, com ares de taberna). Lá conheci uma cerveja deliciosa, a Bourgogne de Flandres.

Outro lugar interessante que descobrimos foi uma doceria/padaria na Eiermarkt, chamada Aux Merveilleux, com doces e pães sensacionais.

IMG_3384
Aux Merveilleux

Há ainda outros restaurantes muito recomendados, mas que não chegamos a ir. Os mais conhecidos são: De Karmeliet, Refter e Saint Amour.

A cerveja também é um ponto alto da Bélgica. As cervejas belgas são provavelmente as melhores do mundo, e Bruges conta com cervejarias famosas. A Halve Maan Brouwerij (Brouwerij quer dizer cervejaria) é uma cervejaria local que produz, entre outras cervejas, a Brugse Zot. Lá é possível visitar a fábrica e conhecer o processo de fabricação, mas não recomendo esse passeio com crianças, principalmente tão pequenas (mas mesmo grandes). Lá há um restaurante, com boa comida e, claro, boa cerveja.

 

Outro lugar muito interessante, (fomos mesmo com a Clarinha pequena, mas nos revezamos com ela do lado de fora) é a ‘t Brugs Beertje, é um bar de cervejas com mais de 300 rótulos, com ambiente de taberna.

O The Bottle Shop não é uma cervejaria, é um mercadinho de cervejas, bem com cara de marcadinho da esquina mesmo. Mas vale a visita pela gigantesca quantidade de rótulos e pelo preço. Para quem quer trazer cerveja para o Brasil, lá é um bom lugar para comprar.

Agora, a verdadeira jóia cervejeira de Bruges fica completamente escondida aos olhos dos simples transeuntes. Na verdade, até hoje não sei como fomos parar lá. Um pouco à direita de quem sai da Kathe Wohlfahert, na própia Breidelstraat, há uma discreta portinha entre as lojas La Belgique Gourmande e La Bruyerre, que leva a um beco. Em cima da portinha está escrito “The Cookies Food and Drink”, que é um restaurante do beco. Lá no meio do beco fica o tesouro: a cervejaria Staminee de Garre. É uma cervejaria bem pequena, com ar medieval (porque deve de fato ser), e uma carta de rótulos boa. A Tripel De Garre é famosa por ser uma boa cerveja servida apenas lá.

Captura de Tela 2017-07-07 às 14.13.29
Portinha de entrada do beco onde fica a Staminee De Garre, escondida entre duas lojas (Imagem: Google Street View).

 

Em suma, Bruges não só é uma cidade linda, histórica e romântica, mas cheia de vida e atrativos!

De lá, dirigimos até a estação de Brussels-Midi, em Bruxelas, devolvemos nosso carro na Hertz e pegamos nosso TGV para Londres.

 

Resumindo Bruges (site oficial de turismo da cidade aqui):

Pontos turísticos:

  • Markt
  • Campanário
  • Palácio Provincial
  • Burg
  • Basílica do Sangue Sagrado
  • Church of Our Lady
  • Old St. John’s Hospital
  • Convento de São Bento/Lago do Amor
  • Canais

Restaurantes e chocolates:

  • The Hobbit (Kemelstraat 8)
  • The Habit (Kemelstraat 9)
  • De Karmeliet (Langerstraat 19)
  • Refter (Molenmeers 2)
  • Saint Amour (Oude Burg 14)
  • Le Pain Quotidien (Simon Stevinplein 15)
  • Trailer de batata-frita em frente ao Campanário
  • The Chocolate Line (Simon Stevinplein 19)
  • Aux Merveilleux (3A EierMrakt)

Cerveja:

  • Halve Maan Brouwerij (Walplein 26)
  • ‘t Brugs Beertje (Kemelstraat 5)
  • The Bottle Shop (Wollestraat 13)
  • Staminee de Garre (De Garre 1)

Lojas:

  • Inno (Steenstraat 13)
  • Kipling (Geldmuntstraat 41)
  • Kathe Wohlfahrt (Breidelstraat 8)

Com crianças:

  • Kinderboerderij De Zeven Torentjes/Fazendinha medieval (Canadaring 41)
  • Passeio de charrete
  • Passeio de barco
  • Passeio de bicicleta
  • Boudewijn Seapark (Alfons de Baeckestraat 12)

 

 

 

2 comentários em “Bruges

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s