Paris: atrações para os pequenos

Paris é uma das cidades que mais rende dicas de viagens com crianças. Como eu já disse antes (Paris: onde ficar e como se deslocar), é um dos melhores destinos para se viajar com os pequenos.

Para mim, o Parc de La Villete é a melhor atração para crianças em Paris! É um parque urbano situado no 19º arrondissement, e é o maior parque da cidade de Paris e sua segunda maior área-verde com 55 hectares. O parque abriga construções públicas voltadas à ciência e à música. Dentro do parque, podemos encontrar vários centros diferentes, como:

  • Cité des Sciences et de l’Industrie: um dos maiores museus de ciências da Europa. É onde fica a Cité des Enfants, voltada para os pequenos.
  • La Géode: um teatro com cobertura esférica.
  • Hall de la Chanson: um teatro onde está instalado o Centro Nacional do Patrimônio da Canção Francesa, das Variedades e das Músicas Atuais.
  • Cité de la Musique: sede do Conservatório de Paris.
  • Le Zénith: uma casa de concertos com capacidade para 6.300 pessoas.
IMG_0611
Lojinha da Cité des Sciences e de l’Industrie

 

Dentro do Cité des Sciences et de L’Industrie fica a Cité des Enfants que é uma parte separada e paga-se à parte, embora fique no mesmo prédio. Existem 2 tipos de visitação: para crianças de 2 a 7 anos e para crianças de 5 a 12 anos. O ideal é comprar o ingresso com antecedência, pois pode esgotar, ou você chegar lá e só ter ingresso para uma sessão bem mais tarde. O adulto não pode entrar sozinho, apenas acompanhado de uma criança. As visitas são realizadas em grupos de visitação limitados, em sessões de 1h30, com hora marcada. Apesar de ter hora marcada e tempo de duração, não é uma visita guiada, as crianças ficam livres lá dentro nesse período. Vale à pena procurar a área mais vazia pra visitar a cada vez (em geral funciona bem visitar “ao contrário”, começando pela parte de direita).

IMG_3795
Entrada da Cité des Enfants

A Cité des Enfants é dividida em 5 temas voltados ao desenvolvimento da criança. Traduzindo, seria “eu me descubro”, “eu sei fazer”, “eu me localizo”, “eu experimento” e “todos juntos”. Olha, posso dizer com segurança que foi um dos lugares mais legais em que eu já levei a Clarinha. Ela já havia ido antes, com 2 anos e 5 meses, e foi dessa vez novamente (4 anos e 5 meses). Ela simplesmente amou, nas duas vezes! Aurora também gostou, mas crianças menores de 2 anos só podem entrar se estiverem como acompanhantes de irmãos na faixa etária indicada (e “comprar” ingresso, mas é gratuito).

 

No Cité des Sciences existe também uma parte paga para os bebês, mas não fomos. Do lado de fora, havia ainda um submarino de verdade para visitação. Aurora não podia entrar, então fiquei do lado de fora com ela e Gustavo entrou com a Clarinha. Ele disse que achou meio claustrofóbico, mas ela adorou. Ela fala nesse submarino até hoje.

Pelo espaço do Parc de La Villete existem vários parquinhos. Ficamos um tempinho em um com um escorrega enorme que saía super-longe. Era uma trabalheira buscar ela na saída do escorrega e levar de novo para entrada, mas ela amou. E ainda tinha brinquedos mais para idade da Aurora. Além desses parquinhos, ainda tem um parque pago, com pula-pula e tirolesa, dividido por faixa etária. Esse parquinho só abre nos meses mais quentes, da última vez em que levamos Clarinha, no começo de abril, estava fechado.

 

O Jardim de Luxemburgo é um enorme parque público de Paris, onde fica o famoso Palácio de Luxemburgo, que atualmente é sede do senado da França. Foi construído em 1611, por Maria de Médicis. A área possui lindos jardins, decorados com estátuas e lagos. Nos dias com tempo bom fica lotado de gente tomando sol nas cadeiras espalhadas pelos jardins. No chafariz central as crianças colocam barquinhos. Uma graça. Dentro do Jardim de Luxemburgo tem um parquinho enorme e fechado, que é pago, mas é barato.

 

Ao lado do parquinho fica o Teatro de marionetes. É o maior teatro de marionetes da França, e existe desde 1933. É claro que é em francês, e as crianças podem perder boa parte da história. Mas dá para acompanhar e as crianças se divertem. Funciona aos sábados e domingos em dois horários (11:00 e 15:15) e às quartas-feiras às 15:15. Antes de cada sessão, eles tocam um sininho e chamam as crianças que estão no parquinho. É possível checar a programação pelo site. Custa 6,30 euros, para adultos e crianças.

IMG_3718

 

O Eixo Histórico de Paris (Axe Historique) é composto pelo Musée du Louvre, o Jardin des Tuileries, a Place de La Concorde, a Avenue des Champs Elysées, o Arc de Triomphe e o Grand Arche de La Défense. Falarei deles em separado aqui.

No meio do eixo, na Place de La Concorde, fica a enorme Roda Gigante de Paris (La Grande Roue). Ela fecha no inverno e em dias com tempo ruim, mas nos demais dias fica aberta até bem tarde e não costuma ter fila em dias de semana e baixa temporada. Custa €12 para o adulto e €6 para a criança. O carrinho de bebê fica fechado embaixo. É uma roda gigante como qualquer outra, mas com uma vista espetacular, garantindo lindas fotos.

IMG_4572
La Grande Roue

 

Um museu que nunca havíamos visitado antes e gostamos muito foi o Musée de l’Orangerie, que fica bem no Eixo Histórico, entre o Jardin des Tuileries e a Place de La Concorde (fica onde era a antiga estufa do jardim). O museu abriga obra de artistas como Cézanne, Picasso, Renoir e Matisse. Mas nós fomos especificamente para ver Monet, complementando nosso “Tour Monet”do livro “Linéia nos Jardins de Monet”, da Clarinha (falarei sobre o livro e o nosso passeio à Giverny). O museu possui duas salas ovais onde Monet instalou um grande conjunto mural, composto por oito pinturas da lagoa de nenúfares de Monet. Estas oito composições cobrem as paredes das salas ovais, formando uma área de cerca de 200 m2, que faz dela uma das realizações mais monumentais do século XX. A entrada custa 9 euros, com tarifa reduzida de 6,50 para jovens de 18 a 25 anos. Menores de 18 anos não pagam. Existem passaportes combinados para a visita junto ao Musée dÓrsay ou à Fondation Claude Monet – Giverny. Nós compramos com um desconto com a passagem do Eurotrem. Mas, atenção: as filas para o museu costumam ser quilométricas!

A Catedral de Notre-Dame de Paris (Cathédrale Notre-Dame de Paris) é uma das mais antigas catedrais francesas em estilo gótico. Foi construída a partir de 1163 e fica na praça Paris, na pequena ilha Île de la Cité, rodeada pelas águas do Rio Sena. Durante o romantismo, Victor Hugo escreveu, em 1831, o romance “Notre-Dame de Paris”, também conhecido como “O Corcunda de Notre-Dame”. A história se situa dentro da catedral durante a Idade Média, sobre a paixão do corcunda Quasímodo pela cigana Esmeralda. A visita à catedral é gratuita, mas costuma ter uma fila enorme (que anda rápido), com revista de segurança. Mas vale à pena!

A Torre Eiffel (Tour Eiffel) é o ícone mundial da França. A torre possui mais de 300 metros de altura e tem três níveis para os visitantes. Os ingressos podem ser adquiridos no site, onde tem todas as informações necessárias (até meteorológicas) ou em guichês embaixo da torre. O preço do bilhete varia com a idade (adultos, 12-24 anos, 4-11 anos e menores de 4 anos, que é gratuito) e com o nível da torre que se deseja visitar. Tem segurança e revista para entrar na região embaixo da torre (que é de acesso gratuito, mas é cercada), e às vezes faz bastante fila. A caminhada para o primeiro nível é superior a 300 degraus. O terceiro e mais alto nível só é acessível por elevador. Do primeiro andar vê-se a cidade inteira, tendo o andar sanitários e várias lojas, e o segundo nível tem um restaurante. Nós não quisemos ir desta vez, pois achamos que seria muito cansativo e cheio, mas fomos embaixo da torre, para Clarinha conhecer. A torre vale mais para os adultos e para as fotos, não tem nada especial para as crianças. Mas logo em frente, na beira do Rio Sena, tem um carrossel, e atravessando o rio tem uma pracinha bem legal.

 

O Jardin des Plants é um jardim botânico aberto ao público, no 5o arrondissement, às margens do Rio Sena, criado em 1626. É parte integrante do Museu Nacional de História Natural. O jardim conta com um pequeno zoológico, que é um dos mais antigos do mundo, criado em 1795. É um zoológico pequeno, fácil de circular. O jardim tem ainda o rosarium, algumas estufas, um jardim alpino e a escola de botânica.

 

Outros dois passeios imperdíveis que fizemos foi visitar os Jardins de Monet, em Giverny, e ir ao Parc Astérix. Esses dois merecem post separados.

Dessa vez não visitamos a Disneyland Paris, mas fomos anteriormente, quando Clarinha tinha 2 anos e 5 meses. Ela gostou MUITO. Para essa idade, achei bem mais legal do que Orlando, pois é menor e mais fácil (e menos cansativo!) de visitar. Além de ser esteticamente mais bonito. Nós fomos de carro, mas a melhor opção é ir de metrô, que chega até a porta (mais perto do que o estacionamento). Só atente porque, por ser mais longe, é um bilhete diferente do usual. Compramos o ingresso 2 dias antes, pelo site, porque era mais barato.

 

Parquinhos

Assim como Londres, Paris é cheia de parquinhos espalhados pelo meio da cidade. São pracinhas com brinquedos simples, mas sempre divertidos, e piso emborrachado. Como eu já disse antes, nós sempre mapeamos as pracinhas próximas a onde estamos hospedados pelo Google Maps. É um bom lugar para as crianças gastarem a energia logo cedo. Em Paris, nós com frequência compramos nosso café-da-manhã e sentamos para comer no banco da praça, enquanto as meninas brincam.

Próximo a onde ficamos, havia a Praça Anne Frank, que era escondida no meio dos prédios, com um belo jardim. Atrás e ao lado da Catedral de Notre Dame também há parquinhos (o de trás é bastante frequentado por crianças maiores).

O parquinho dos Jardins de Luxemburgo, que citei acima, é um dos mais legais. É um parque com muitos brinquedos para todas as idades, inclusive uma mini-tirolesa, as meninas amaram. Teoricamente, as cores dos brinquedos fazem uma divisão por faixa etária, mas essa divisão não é seguida estritamente.

 

Atrás e ao lado da Catedral de Notre Dame também existem duas pracinhas.

 

No Jardin des Tuileries, em frente ao Louvre, também existem parquinhos. Como citei, nós fomos em um deles e era bem divertido, com um escorrega enorme que a Clarinha amou. Pelos gramados vemos várias pessoas fazendo piquenique ou tomando sol.

 

Quase em frente à Torre Eiffel, atravessando o Rio Sena, também há um parquinho bem legal, nos Jardins du Trocadero, que é uma área bem nobre da cidade.

 

Além das pracinhas, outro atrativo para as crianças (e para os turistas em geral) são os vários carrosséis espalhados pela cidade. Em geral, são bonitos, clássicos e românticos. Compra-se fichas na cabine ao lado. Em frente ao Hotel de Ville há um e em frente à Torre Eiffel também.

 

 

 

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s