Parc Astérix

O Parc Astérix é um destino pouco conhecido pelos brasileiros em Paris. Infelizmente, porque vale muito à pena!

 

É um parque temático, inspirado nos famosos personagens de quadrinhos, os gauleses Astérix e Obélix (e sua turma), e fica 35 Km ao norte de Paris (cerca de 30 minutos de carro).

Antes de tudo, vale entrar no site oficial do parque (lá embaixo no site, rolando a página até o final, é possível trocar a língua do site para inglês ou espanhol). “No item “Préparer ma visite” (preparar minha visita), é possível checar como se chega ao parque, o calendário e as tarifas. Em determinadas épocas do ano, o parque fica fechado (no inverno, por exemplo) ou abre apenas nos finais de semana e quartas-feiras (dia sem aula nas escolas de Paris). O preço do ingresso é muito variável de acordo com as datas, indo no geral de 35 a 50 euros. Vale à pena checar ofertas de última hora no site.

Outra opção é ficar 1 ou 2 noites no L’Hôtel des Troix Hiboux ou no La Cité Suspendu, que são hotéis do parque. Do primeiro é possível ir a pé até o parque, e o segundo oferece transfer gratuito. Para nós não valia à pena, pois fomos em uma quarta-feira de maio, e o parque neste período só abria nas quartas e nos finais de semana, senão certamente nos programaríamos para passar ao menos 1 noite lá e aproveitar melhor o parque. O site fornece ainda a opção de se hospedar em um dos hotéis parceiros.

Existem algumas opções de transporte, mas infelizmente nenhum transporte público direto. É possível pegar um ônibus fretado (que deve ser reservado com antecedência), que sai do subsolo do Louvre ou do aeroporto. Há ainda as opções de minivan e táxi, mas nós preferimos alugar um carro, já que usaríamos também para ir à Giverny no dia seguinte. No site eles explicam direitinho todas as opções.

Chegando ao parque, o estacionamento é simples e bem próximo à entrada do parque (como eu já disse no post sobre o Efteling, na Holanda, um grande diferencial se comparado aos parques da Disney). Como o parque também não é enorme e os brinquedos não são muito longe uns dos outros, crianças um pouco maiores, que não usam carrinho no dia-a-dia, não precisam de carrinho, como é fundamental em Orlando. Quando fomos, o parque estava relativamente vazio, com temperatura amena, apesar do sol forte, e muito agradável de se passear. O parque é realmente um encanto, mesmo para os que, como eu, não são tão íntimos do Astérix e do Obelix (Clarinha nunca tinha ouvido falar).

Baixamos o aplicativo do parque, o que facilitou bastante a nossa vida. Estudamos o mapa, vimos a altura mínima dos brinquedos e fomos mais direcionados. Todos os brinquedos estavam com zero fila. TODOS. Em uma das montanhas-russas, os funcionários chegavam a perguntar, ao final da volta, se todos queriam ir de novo direto, e emendavam outra volta mal o carrinho parava. Fomos umas 4 vezes na sequência. Um sonho para os loucos por montanhas-russas! Clarinha ficou em êxtase.

O parque tem atrações para todas as idades. São 37 brinquedos, desde as mais calminhas, como carrosséis e barquinhos lentos até montanhas-russas mais radicais (nessas a altura mínima é 120 a 140 cm). As atrações são classificadas por altura mínima, e divididas em Petit Gaulois, com atrações para os menores, com altura mínima de 80 ou 90 cm, Pour Toute la Famille, com atrações que exigem altura mínima de 90, 100 ou 120 cm, e Sensations Fortes, que são os mais radicais, com altura mínima de 120, 130 e 140 cm.

 

Outra atração do parque são os espetáculos, que costumam durar em torno de 20 minutos, e ocorrem em horários pré-determinados ao longo do dia (em geral 3 ao dia). Vale checar logo no início da visita, para se programar. Tem o Révérence, que é um espetáculo com golfinhos. Eu jurei que não iria ver, por questões ideológicas e tal, mas Clarinha fez escândalo, se jogou, eu bati pé, mas sucumbi. Ela adorou. No final, é possível descer para o subsolo e visitar os aquários, mas não fomos. Tem o Magique Panoramix, que é um espetáculo sobre o laboratório de Getafix, druida da tribo dos Gauleses, e ocorre somente em algumas datas especiais. Os espetáculos dos personagens principais, Asterix e Obelix, ocorrem eventualmente, e é preciso checar a programação do dia. Costumam ser muito engraçados. Em todos eles, a língua é um limitante, pois são falados em francês. Mas certamente é possível se divertir muito, mesmo sem compreender os diálogos ou sem ser conhecedor dos personagens.

Outro ponto alto do parque é a facilidade em se encontrar os personagens. Existe uma Aldeia da Gália (Village Gaulois), com cenários idênticos aos dos quadrinhos, e com animais de fazenda. Lá, é possível encontrar cenas típicas das histórias e cruzar com os personagens para tirar fotos facilmente.

 

A comida por lá é estilo comida de parque, mais fast-food. Mas um fast-food francês, beeeeem melhor. Compramos um enorme sanduíche de salmão defumado na baguete e Clarinha devorou. Confesso que, como foi uma visita única e ficamos relativamente pouco tempo, não pesquisei muito a questão gastronômica.

IMG_0684

Na saída, como já era esperado, existem algumas lojinhas de brinquedos e lembrancinhas. Achei o preço bem razoável e as coisas bem bonitinhas. Comprei algumas lembrancinhas para a família lá, e coisinhas para nós também (inclusive a caneca na qual estou bebendo café neste exato momento).

Em resumo, o parque pode não ter muita coisa para os menorzinhos (menos de 90-100 cm de altura), mas mesmo eles aproveitam. Para crianças um pouquinho maiores (e para os pais) é uma diversão e tanto! É um lugar legal, com ambientação bem-feita e divertida. Sem ser cansativo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s